Participação no Partido Anarquista Internacional

Participação no Partido Anarquista Internacional

A Cabeça do Anarquismo

O Partido Anarquista Internacional é a Cabeça do Anarquismo

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

O que nos Anarquistas queremos

O que nos Anarquistas queremos
Em uma forma bem clara e objetiva
Estilo uma explicação ao modo Curto e Grosso
Sem sentirem ofendidos com os termos usados
Resumidamente queremos o Anarquismo:

Acabar com a Revolução Burguesa
Acabar com o Poder do Estado Burguês
Por fim a Revolução Burguesa Permanente
Assim Destruir a Democracia Burguesa
Realizar a Revolução Anarquista
Edificar o Estado Anarquista
Implantar o Poder Popular

Programas de Ação Anarquista

Agir em Níveis e Frentes

Programa Anarquista para a Ação Direta em Níveis e Frentes de Lutas Sociais.



Nível SOMA

1º Constituir grupos SOMA;
2º Montar espaços SOMA;
3º Produzir em conjunto no grupo SOMA.

Nível Estado

1º Promover Reuniões Periódicas Familiares;
2º Gerar Debates Familiares;
3º Participar da vida dos seus Familiares.

Nível Econômico

1º Organizar Trabalhos Autônomos;
2º Promover Feiras de Trabalhadores Autônomos e Cooperativados;
3º Constituir uma Frente de Trabalhadores Autônomos e Cooperativados. 

Nível Ideológico

1º Organizar Federações Anarquistas por cidades e estados e as confederá-las;
2º Organizar Grupos Anarquistas de; Estudos, Editores, Comunicadores, Educadores e de Formação Politica;
3º Abrir Espaços e Centros Anarquistas como de Cultura e Educação e Federalizar estes na Federação Local.

Nível Jurídico

1º Organizar Grupos Ativistas como de Advogados, Juristas, Contadores, Administradores, Secretários e de Estudantes de Direito para apoio ao Movimento Social;
2º Organizar Grupos de Assessoria Jurídica a os Movimentos Sociais e a Grupos Anarquistas, ajudando estes a organizar seu Nível Jurídico;
3º Organizar Grupos de Estudos sobre pesquisas em Juridição e Estatísticas Geográficas.

Nível Social

1º Organizar Frentes Estratégicas de Lutas Anti Capitalistas e gerar Movimentos Sociais.
2º Formar Frentes Táticas de Lutas sociais como de Gêneros, Juventudes e Culturais;
3º Somar todas as frentes em um amplo Movimento Social.

Nível de Ação Direta

1º Constituir grupos de Pichadores e Interventores da Guerrilha Cultural;
2º Constituir grupos de apoio e de internautas Anonymous; 
3º Organizar a Frente Black Block.

Nível Politico

1º Constituir Coordenações Politicas para a Ação Direta Anarquista na formação de um Partido de Massas;
2º Formar através da Coordenação Anarquista uma Frente Politica Anti Democracia Burguesa avançando o Poder Popular;
3º Organizar Edições, Cartazes, Panfletos de propaganda pela ação das massas, esta politica deve apoiar os Movimentos Internacionais em Luta indiferente da Ideologia condutora destes Movimentos e onde cada seção que a editou responda pelo que escreveu.

Nível Publico

1º Promover Encontros Anarquistas;
2º Promover Atividades Anarquistas como por exemplo Feiras de Livros;
3º Manter o Caráter Anti Vanguardista e Pluralista do Movimento Anarquista, não permitindo que falem em nome de todos Anarquistas, porem permitir que grupos falem em nome de seu Grupo Anarquista.

Nível Programático

1º Somar os Anarquistas ao Movimento Social como por exemplo ao Movimento Passe Livre;
2º Criar Debates Políticos em torno do Programa do Anti Autoritarismo;
3º Debater os Projetos Políticos sendo geridos diretamente por conselhos locais de Trabalho, Moradia e Estudo.

Frente Comunitária em Guarulhos




Sobre a Toka

O Espaço Kultural Toka da Árvore é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos; Trata-se de um espaço aglutinador de ações onde existem uma série de projetos de cunho sócio-cultural-ambiental, sem fins lucrativos, a saber: Centro Independente de Línguas (CIL), Curso Pré-Universidade, Curso de Alfabetização e Letramentos, Laboratório de Informática, Atividades Artístico-Culturais, Atividades de Sustentabilidade, Atividades Artesanais, cooperativas etc.
Os frequentadores do espaço são primordialmente a população do município de Guarulhos, mais precisamente da região do bairro dos Pimentas, não havendo restrições a participantes de quaisquer outras regiões. O público atendido é formado por jovens a partir dos 16 anos de idade e adultos em geral, sem restrições. O espaço está localizado no município de Guarulhos, bairro dos Pimentas, Parque Alvorada, acesso pelo km 210 da Rodovia Presidente Dutra, sentido Rio de Janeiro.
O projeto busca beneficiar a população do entorno através da oferta de atividades educacionais, artístico-culturais, de sustentabilidade e exercício da cidadania. Em termos de metas e objetivos, busca-se proporcionar um espaço de compartilhamento de experiências que visam o desenvolvimento do espírito e a retomada do sentido da vida social na periferia, buscando, desta maneira, criar novas opções de ser e agir em sociedade.
Como? Através de encontros no Centro Independente de Línguas (CIL), do curso pré-universidade e do curso de alfabetização e letramentos, com vistas ao pleno desenvolvimento da pessoa, à promoção da integração ao mercado de trabalho e ao exercício da cidadania; por meio de atividades culturais, educacionais e desportivas, como oficinas, saraus, teatro, música, esporte e lazer, conforme os Arts. 203 e 205 da Constituição Federal, além de grupos de estudo, grupos de trabalho, da cooperativa de resíduos sólidos etc. O projeto aplica uma política de produção local, através da manufatura de assentos feitos com pneus descartados na comunidade, plantio, substituição de combustíveis poluidores, produção de bens de consumo como doces, sabão, insumos agrícolas, permacultura, entre outros.
Esta iniciativa, já em andamento há 6 (seis) meses, possui sede alugada à Rua Santa Efigênia, 142, Pq. Alvorada, CEP. 07242-100, Guarulhos, SP – Tel.: 49696805, na internet: http://www.tokadaarvore.wordpress.com, e-mail: falecomatoka@gmail.com.
Projetos criados pela equipe do Espaço Cultural Toka da Árvore, como o projeto do “Centro Independente de Línguas” (CIL), curso intensivo de idiomas que acontece no espaço (inglês, espanhol etc.), de segunda a quintas-feiras, uma hora por dia, em diversos horários, inclusive à noite, ou o projeto “Ecos para a escola”, que visa fomentar práticas de conscientização ambiental que resultem em ações de proteção ao meio ambiente e oportunidades de geração de renda a partir da perspectiva de uma economia socioambiental,  são apenas alguns exemplos de projetos que já acontecem ou podem acontecer, mas que dependem de apoio.
Necessidade
Observa-se um problema crônico nas periferias brasileiras de aumento da violência, pobreza, exclusão social, insuficiência funcional do Estado, degradação do meio ambiente, violência policial, precariedade dos serviços públicos, violência familiar, falência da escola, enfim, a perda do sentido da vida social.
A Toka surge em maio de 2013 com uma proposta
comunitária alternativa, que busca conscientizar a população do entorno acerca dos
desafios que nos são apresentados neste século e das medidas que podem ser
tomadas pela comunidade no sentido de dar contribuição para sua transformação e,
portanto, da sociedade como um todo, de forma a trabalhar de maneira direcionada
e organizada para construir um mundo melhor, com base nos princípios
fundamentais do Art. 1° da Constituição Federal, a saber: cidadania e dignidade da
pessoa humana.
Objetivo geral: Promover convivências que apontem para a necessidade de adotar práticas de ressignificação do meio, além da preservação ambiental e sustentabilidade no cotidiano da comunidade, com vistas à disseminação dessa consciência para os membros da comunidade e seu entorno, conforme Art. 225 da Constituição Federal.

Anti o Fascismo no Anarquismo



Anti o Fascismo no Anarquismo

Todo aquele que cerceia o debate e Impede o debate

Queima Livros e impõe autoridade
Persegue Organizações e condena suas manifestações
Ou é um Velho Reacionário ou um Fascista enrustido
Com os seus braços em saudação Nazista na delegacia


Até a "V" Vitoria sempre !

O Brinquedo Proibido

" O Brinquedo Proibido "

De um neste Natal a quem você ama
Seja um Amigo Secreto "V" Vedeta !

Natal "V" de Vingança


quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Hino do Partido Anarquista Internacional

Orquestra Anarquista Kombinat 
"Vermelha e Negra"
Canta o Hino Partido Anarquista 
"El Patizan de Bella Cion" 
Entre muitas outras lindas canções
Anarquistas de Resistência Popular
Não deixe de ouvir, ver, conhecer.


Este é o Hino do Partido Anarquista
de todas as siglas que aparecerem
Por todos que estão na Luta 
E por que tombaram Lutando pela Liberdade
"Ordem Vermelha e Negra"

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Carta aos Companheiros do Estado do Espirito Santo que pediram adesão ao PAI.

Carta aos Companheiros do Estado do Espirito Santo que pediram adesão ao PAI


A seção mais perto de vocês é em São Paulo.
Para montar uma Seção do PAI por ai basta vir em uma reunião aqui em São Paulo para se apresentarem pessoalmente.
A regra é sempre cada nova seção se apresentar a Seção do PAI mais próxima que comunicara as demais seções da abertura de uma nova seção, sem burocracia leninista de controle apenas apresentação de Anarquistas aos que estão iniciando este processo, e depois a mesma coisa com vocês por ai, o grupo mais próximo de vocês é vocês que conhecem e comunicam as demais seções, onde a única exigência é a apresentação a uma seção mais próxima.
Uma Partido Anarquista não é um Partido Leninista de critérios como quer o FAO/CAB e sim de apresentação somente.
A organização é em formato de coordenação ou seja é tão somente para coordenar as ações em atuação em frentes e níveis.
Aqui estamos abrindo uma seção em Guarulhos e Santo André no ABC do PAI na grande São Paulo.
A Seção do PAI de São Paulo se reúne a cada 15 dias e cada lugar escolhe sua forma de se organizar, pois a autonomia organizativa é um principio do Partido de Massas Anarquista.
Aqui coordenamos na seção do PAI São Paulo uma frente comunitária em guarulhos com o espaço toka, uma frente estudantil em guarulhos, uma frente comunitária de conselhos populares no  ABC, uma frente de educação no ABC, uma frente de educação, formação e comunicação em São Paulo através da FASP, em Guarulhos e em São Paulo tem um Nível Econômico de trabalhos Autônomos, bem como todas as seções apoiam diretamente a frente black block.
E Esperamos vocês do Espirito Santo a compor com o PAI em uma mais nova Seção.
O PAI trabalha comunicação de massas fazendo propaganda e debates em torno dos movimentos sociais sem descriminar sua orientação ideológica e valorizando sua luta.
Por exemplo o MPL é um movimento social de orientação Anarquista e o MST ou movimento sem terra de orientação maoista e ambos tem minorias ideológicas no grupo, porem não é a a frente ideológica o veiculo de luta a qual o PAI investe e sim na luta do MPL e do MST por exemplo somente.
A Luta Ideológica se faz com discernimento e formação politica através da formação de Federações Anarquistas.
Porem nada impede da seção local traçar uma politica de comunicação que mescle Movimento Social com Anarquismo, porem isto mais afasta que atrai na pratica, diferente de mostrar que os Anarquistas estão na Luta do Povo atuando nestes movimentos, isto fortaleceu a atração por conhecer o Anarquismo no Brasil.

Aguardamos seu novo contato e visita de vocês aqui em São Paulo.
Esta carta sera publicada no grupo PAI do Facebook e no Blog do PAI.

Atenciosamente Seção PAI de São Paulo

Observação: depois de se apresentarem, explico que o PAI não tem secretaria centralizada todos o são a secretaria e respondem pelo que editam e fazem, por exemplo se editarem um jornal do PAI devem colocar a Seção que o editou, pois liberdade de pensamento é direito no Anarquismo como Responsabilidade é um dever no Anarquismo. 

sábado, 26 de outubro de 2013

Abuso de Autoridade Militar no Brasil Continua



FOTO do Momento em que um vândalo miliar abusa da autoridade ao não dar uma resposta na lei não trazendo uma policial feminina a revistar a menor e ilumina os órgãos genitais de uma menina que claramente oferece risco ao vândalo uniformizado em nome da lei, fortemente armado e acompanhado de uma tropa de brutamontes. 

Ele nos humilham, nos perseguem, nos ferem, nos prendem, nos oprimem e querem que aceitemos. 

Existe ainda uma plateia que aplaude tudo isso, e não é de pé. 
Ela está há anos aplaudindo as ações grotescas da polícia e seus chefes, sentados no sofá.

A repressão pode continuar. Mas não esperem que ficaremos calados.

"Eles querem que você se sinta mal. Pois assim eles se sentem bem."

Anarquista assassinado no Brasil

Reflexões sobre o assassinato de um Anarquista
No dia 13 de setembro de 2013, aos 24 anos, Samuel Eggers foi assassinado na cidade de Caxias do Sul. Desde então a mídia e a polícia vem inventando histórias fantasiosas sobre sua morte, buscando enquadrá-la em um latrocínio qualquer com mentiras. Muitas são as evidencias de que são histórias falsas. Tudo nos leva a crer que Samuel morreu pelas mãos da brigada militar do estado do Rio Grande do Sul, ou por algum assassino vinculado à elite local, simpatizante de ideias fascistas, protegido e salvaguardado por esta instituição.
Tudo leva a crer que Samuel morreu por se declarar abertamente anarquista, mesmo em um ambiente acadêmico, durante um congresso científico de psicologia. Envolvido no movimento estudantil desde sua graduação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Samuel foi pouco a pouco se identificando com causas ambientais e sociais, tendo cada vez mais como norte os ideais de liberdade, mutualidade, igualdade e autonomia próprios da filosofia libertária.
Há cinco meses atrás, mais de trinta manifestantes que protegiam centenas de árvores na orla do Guaíba, junto a usina, foram violentamente abordados no meio da noite pela tropa de choque, sequestrados e humilhados, com autorização do governador e do prefeito, para que arrancassem as árvores com enormes retroescavadeiras. Samuel estava entre estas pessoas que protegiam as árvores, este é seu “antecedente” para essa mídia porca e suas mentiras. Ele tinha como costume compartilhar com amigos e leitores, suas várias reflexões e leituras através de vários blogs, entre eles, o Tempo de Rebeldia. Foi por meio deste blog que denunciou os abusos de autoridade e a reconheceu a verdadeira função da violência policial.
“É possível que alguém que tenha tomado um “atraque” da polícia militar, daqueles que apontam uma espingarda calibre 12 na sua cara, e ainda acredite que tal ato foi fruto do despreparo de um policial individual. Que foi um erro num sistema que, de maneira geral, funciona bem. Mas, quando se tem o privilégio de ser atacado por uma operação deste porte, passa-se a ver a polícia com outros olhos: como um sistema cruel que corrompe boas pessoas. Em última análise, a função da polícia não é manter a população segura, mas mantê-la com medo e obediente. Por isso nós, baderneiros acusados de desacato à autoridade, fomos tão humilhados – em uma sociedade baseada em obediência e silêncio, não existe crime maior do que falar a própria opinião e defendê-la de forma minimamente efetiva.” em Notas sobre o Terror do Estado (parte 2) – 10 de junho.
Com a repressão vivenciada em decorrência do corte das árvores, e mais tarde, diante da reação da polícia frente às manifestações de junho em Porto Alegre, a compreensão de Samuel sobre o estado em uma sociedade autoritária, bem como o funcionamento do aparato repressor se consolidou.
“Não, não é por acaso, equívoco ou erro tático: essa é, e sempre foi, a estratégia da Brigada Militar. O objetivo dessa corporação não é proteger a população, mas mantê-la assustada e dócil, com os indivíduos isolados entre si e fáceis de capturar quando se tornam ameaçadores demais. A polícia militar não é a guardiã do nosso sono tranquilo, mas o exército que ocupa nossas cidades, e patrulha nossas ruas em busca de rebeldes. Seus soldados são doutrinados a acreditar que o que fazem é pelo bem de todos, para livrar nossa sociedade desses vagabundos que ficam fumando crack por aí, roubando quem trabalha. Aqueles policiais que desceram o cacete, que jogaram bombas e prenderam inocentes provavelmente acreditam, do fundo da sua alma, que o que estavam fazendo ali era o melhor – a coisa certa. Na massa que se movia entre cartazes, bandeiras e gritos, os homens e mulheres de farda não viam nada além de vagabundos que mereciam apanhar por não se comportarem direito. Por isso foram tão eficientes em seu trabalho, e tão determinados em varrer o centro de Porto Alegre daquela corja.” em Quando Porto Alegre anoiteceu laranja – 25 de junho.
Podemos não saber quem exatamente matou Samuel, mas sabemos o que matou. Foi morto pelo fato de ter ideias, ideais e práticas libertárias de contestação. Samuel, que abertamente se autodeclarava anarquista, morreu graças à irresponsável campanha midiática antianarquista do Grupo RBS através de seu jornal, a Zero Hora, que a todo custo buscou criar uma imagem distorcida do anarquismo e dos anarquistas. Também sua memória foi vítima desta mídia. Depois de seu cruel assassinato, ele que era uma das pessoas mais tranquilas segundo quem o conhecia, é descrito por reportagens como alguém “violento” por lutar kung-fu, um “portador de antecedentes criminais”. Para saber mais sobre seu crime, bastam suas palavras.
“Entrei para o grupo de pessoas que foram presas porque ousaram desafiar a tirania e combater a injustiça. Finalmente, sinto-me um igual, não apenas diante de homens e mulheres como Gandhi, Emma Goldman e Thoreau, mas também daqueles camaradas que há muito tempo gritavam para que eu me somasse à luta. Se queriam me assustar com ameaças, e fazer com que eu me recolhesse para dentro do meu mundo, fracassaram, pois hoje descobri que não quero viver numa “democracia” em que eu tenha que me calar e seguir as ordens dos meus superiores. Jurei que farei tudo que estiver ao meu alcance para tornar o mundo um lugar onde eu quero que meus filhos cresçam. Guardarei um lugar aqui pra ti, no dia em que perceberes o mesmo, e seguirei lutando enquanto você não acorda.” em Notas sobre o Terror do Estado (Parte 1) – 29 de maio.
O que matou Samuel, alguns meses depois, foi seguir firme com esta intenção: desafiar a tirania e combater a injustiça. Está cada vez mais claro que este tipo de intenção é considerada inaceitável para sádicos e sociopatas, para os adoradores da ordem que escondem suas perversões atrás de distintivos, verdades rasas e propaganda institucional.
Mataram-no e buscaram esconder esta morte nos índices de latrocínio aceitáveis  na indiferença das estatísticas que ocultam os crimes e o terrorismo dos criminosos que se escondem atrás do poder. Para iludir os vivos criaram uma história tao incoerente que constrange qualquer pessoa minimamente antenada. As incoerências nas informações contidas reportagens sobre a investigação da morte de Samuel são evidentes. Os acontecimentos não batem, um ladrão que com uma arma no carro sai para assaltar de mão limpa, uma suposta reação violenta de Samuel não condiz com sua personalidade, um latrocínio em que nada é levado. Dois jovens são apontados como suspeitos. Teriam eles recebido para matá-lo? Ou estariam sendo ameaçados empurrados de forma a assumir um crime que não cometeram? Policiais civis e militares colaboram para esta farsa, e a mídia se esforça para torná-la lícita.
O mal que abateu Samuel poderia ter se lançado contra muitas outras pessoas, todas e tod aquelxs que defendem e se identificam publicamente com os ideais libertários. O que matou Samuel poderia nos ter matado a qualquer um. Entre nós paira uma certa ingenuidade, a quem prefira acreditar que não se morre por ser anarquista, a quem prefira acreditar em “liberdade de expressão”, “democracia representativa”, “estado de direito” e em outros contos de fada.
Nos dias de hoje, como muitas vezes antes, pessoas são mortas por se colocarem contra a tirania, jovens são mortos por abraçarem estes ideais. O mal que matou Samuel, é o mesmo que matou tantos outros antes dele. Este mal fardado e engravatado, está no autoritarismo e na violência institucionalizada, na ignorância premiada, no exército de sádicos recrutados e amestrados para “proteger e servir” os interesses dos parasitas sociais a que chamamos de “elites”, como se fossem seus.
E se nos matam nas ruas o que devemos fazer? Devemos permanecer pacíficos e deixar que nos martirizem? Nao é a autodefesa um princípio anarquista? Devemos nos esconder da tirania dos cleptocratas, esperando que por qualquer descuido nos encontrem, que se abatam sobre nós e sobre as pessoas que amamos? Enquanto isso seguem aumentando seu exército de sádicos, estão pelas ruas com armas em punhos, apoiados pelos pacifistas espectadores, caguetas e infiltrados infestam todos os atos públicos e manifestações organizadas, generais de dez estrelas fantasiam conspirações.
Como escreveu o poeta Maiakóvski
Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor
do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem;
pisam as flores,
matam nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia,
o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz, e,
conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada.
Antianarquismo é o nome deste mal que precisa ser a todo custo combatido. O que aconteceu com Samuel Eggers é algo a ser contado, recontado e conhecido. É hora de gritar, é hora de lutar, é hora de não nos deixarmos tomar pelo medo. Sempre que um dos nossos é morto lembrem-se das palavras de Émile Henry em seu julgamento, aos 22 anos em 1894, rotulado de terrorista e guilhotinado por lutar contra a tirania, pelo estado frances:
“Enforcados em Chicago, decapitados na Alemanha, estrangulados em Xerez, fuzilados em Barcelona, guilhotinados em Montbrison e em Paris, nossos mortos são muitos; mas vocês não foram capazes de destruir a Anarquia. Suas raízes são profundas; brotam do íntimo de uma sociedade podre que está caindo aos pedaços; esta é uma oposição violenta contra a ordem estabelecida; e uma defensa das aspirações por igualdade e liberdade daqueles que se ergueram contra o autoritarismo vigente. Ela está em todos os lugares. Isso é que a faz indomável, e por fim ela irá derrotá-los e assassiná-los.
Fonte Link:

 http://pt.contrainfo.espiv.net/2013/10/18/brasil-o-que-matou-samuel-eggers/

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Coronel toma Pau na Revolta Popular em São Paulo / Brasil

Coronel toma Pau na Revolta Popular em São Paulo / Brasil



Revolta popular ataca Coronel da polícia nessa noite em São Paulo. Ao todo foram mais de 2000 pessoas nas ruas e 100 detidos pela Polícia Militar, entre menores de idade, integrantes do MPL, Mídia Ninja e integrantes da banda que tocava no ato.

Em meio a demostrações cênicas e muita batucada, o protesto seguiu sem conflitos até chegar no Terminal Dom Pedro, onde o grupo foi cercado pela PM e começaram os conflitos. Os atos reivindicam o fim das catracas em transportes públicos, em prol de uma política pública de mobilidade que acabe com os altos lucros dos empresários do setor. 

A página oficial da PM classifica o fato como tentativa de homicídio. "Se isso é tentativa de homicídio o que a polícia faz todos os dias nas favelas e nas ruas ocupadas também é" afirma um manifestante não identificado. 

Recebemos informações que em São Paulo o coronel Reynaldo Rossi, o mesmo comandante da PM que já fez uma série de declarações sobre as manifestações e inclusive comandou a tropa no dia 21 de Outubro, ato em que vários jornalistas foram agredidos pela polícia, foi levado para o hospital com uma fratura na clavícula e um ferimento no crânio. Também recebemos info de que ele teve uma pistola .40 e um rádio levados durante o confronto. 

Acompanhe #aovivo a vigília dos presos nas DPs da capital:

www.twitcasting.tv/midiaNINJA

http://www.youtube.com/watch?v=51YTBYCOdsQ&hd=1

Manifestação do Movimento Passe Livre a Todos

Acompanhe ao vivi as Manifestações ao vivo

Hoje dia 25 de Outubro de 2013 tivemos protestos em todo o Brasil pelo Passe Livre.



Acompanhe ao Vivo as Manifestações do MPL

Link:
http://www.anonymousbr4sil.net/2013/10/acompanhe-ao-vivo-as-manifestacoes-em.html#.UmsKUfmkqq9

Policia prende os Black Block em Manifestação do Movimento Passe Livre de São Paulo

Link's:

http://twitcasting.tv/midianinjapavi
http://twitcasting.tv/midianinjapavi
http://twitcasting.tv/peixeninjaSP
http://twitcasting.tv/zonadeconflitot
http://twitcasting.tv/trilhaecia
http://twitcasting.tv/oindependenterj


Fotos do Movimento Passe Livre a Todos
em São Paulo / Brasil

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Nem Revisionismo e Nem Leninismo

Nem Revisionismo e Nem Leninismo

Um Dia os Revisionistas Russos 
ainda vão dizer a nos da esquerda:

- O Leninismo nunca existiu !

Cuidado o revisionismo ainda é pior
 que o Leninismo, pois ele te esconde
 os Tiranos que vão te matar de novo.


O Estado Periférico Mundial contra o Estado Central Burgues

Texto em respostas ao Jornal Russo sobre o Black Block no Brasil.

O texto acusou o Black Block de um Anarquismo "sem causa"
Esta é a Resposta do Partido Anarquista Internacional ao Jornal Russo.

Quem diz que o Black Block não tem causa é uma pessoa analfabeta simbólica no minimo. 
Onde tem Bandeira tem REI, este é um exercito do Clássico "Os Miseráveis", quem age em turma esta formando um exercito, mesmo que o capitalismo tenha comprado o título de exercito somente para eles, porem a pratica é esta. 
Quem forma um exercito tem uma plataforma politica, mesmo se esta não seja debatida nos preceitos da revolução burguesa em seus sujos circos democráticos.
Não entender que o Anarquismo é um Partido Revolucionário mesmo que não se decrete assim é estar em fraudas mijadas. 
Não entender que o Estado atacado pelo Anarquismo na atualidade é o estado da Revolução Burguesa é burrice, pois quem esta formando um exercito esta formando um Estado.
A Violência de Spray das pichações contra a violência militar é incomparável, e usar a violência menor escondendo a maior é fascismo.
O Black Block sabe muito bem o que quer, pois como um Exercito Negro Mundial em formação sabe qual é o seu dever, atacar os símbolos do capitalismo e colocar o anarquismo em pauta em todo o Mundo.
As Ideias não tem fronteiras pois a ideia é o espirito e para combater um espirito não adianta armas letais, pois o espirito migra a outro corpo, a ideia não tem fronteiras, tem sim objetivos, estrategias, táticas, metodologias e propaganda e quem faz tudo isto tem muitos objetivos.
Pois o Black Block é o braço de ação direta do Partido Anarquista.
Agora cabe vocês enxergarem ou fingirem não enxergar a ascensão das periferias e o nascimento de um novo Estado em todo o Mundo, pois se a Burguesia fez sua Revolução a periferia ira fazer a sua também.
Se a Burguesia submete todos ao seu Estado e gera um Estado pior ainda junto aos Miseráveis que só lhe sobraram o REI e sua Bandeira, depois que este novo Estado se firmar a a burguesia terá que passar por tudo que submeteu este Estado, filho Paria do Estado Burguês.

Link do Jornal Russo:  http://portuguese.ruvr.ru/2013_10_24/Black-Bloc-e-o-anarquismo-sem-causa-2763/



" Todo Miserável tem uma bandeira
e na tabela tem um REI "

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Contra o Reformismo no Movimento Libertário


El Reformismo libertario avanza lentamente en Chile ! la RED apoya candidatura presidencial libertario!
No es de hoy que bakuninismo tiene advirtiendo sobre el reformismo liberal en el ´´anarquismo``. desde la Guerra Civil Española, con la capitulación de la CNT, la análisis Bakuninista es fundamental para comprender nuestra actual realidad, hoy la evidencia demuestra su validez. Los libertarios utilizando el ejemplo de la CNT apoyo a un gobierno republicano, "acumulación de fuerzas", "vencimiento" a "ruptura democrática" sostenidas electoral APVR apoyo de las teclas (que no recibieron críticas por parte de cualquier organización "libertaria" de américa América, de la FAU FAG pasó la tela). Ahora vemos la coalición en Chile con la Red declarando apoyo presidencial del Partido Libertario Humanista Marcel Claude,igual al apoyo de la federacion anarquista revolucionaria de Venezuela a la candidatura de Chaves en 2012.
El llamado "anarquismo social", se está convirtiendo en un verdadero anarquismo social demócrata.
fuera el reformismo libertario !
Por la acción directa de las masas!
Viva bakuninismo !

Site:

http://www.elciudadano.cl/2013/07/01/72475/declaracion-publica-de-la-red-libertaria/

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Ditadura Brasileira do PT/PSDB

" Ditadura Brasileira do PT/PSDB "

Primavera Negra no Brasil

Primavera Negra no Brasil

A Primavera Black Block chegou ...
Antes eramos sementes e agora florescemos novamente
Somos as Rosas Negras dos espinhos de rebites Punks
Deste Galo que Canta 3 vezes para a Selva de Pedra
Desta Igreja Gótica, destas Lagrimas EMO, desta Luta Punk classista
Destes Recrutas do Exercito Negro Plataformista de novos Zapatistas
Desta Tática de Manifestações que se tornara a Estrategias Black Block
Não estamos sozinhos, não somos poucos e tão poucos estamos em poucos países
A Revolução agora é Mundial e não da para ser diferente
Ninguém mais segura a fúria destes espíritos
Pois vocês me matariam, mais exércitos viriam em meu nome
Doce Vingança de Mascaras deste Carnaval da Revolução Anarquista

Pra não dizer que não falei desta Rosa Black Block:


terça-feira, 15 de outubro de 2013

MPL Movimento Passe Livre

MPL Movimento Passe Livre


PSDB trama contra o Black Block São Paulo



PSDB cria militante de difamações e

calunias sobre o Black Block

Veja o vídeo dela no youtube:


http://www.youtube.com/watch?v=PiynbXcKiVY&feature=youtu.be


Discrição dela em seu vídeo no youtube:


"Isabella Trevisani" fala sobre a 


verdadeira "face" dos "BLACK BLOCS"

http://www.youtube.com/watch?v=PiynbXcKiVY

facebook de Isabella : 

http://facebook.com/IsabellaTrevisani01

PABLO(um dos lideres o black blocs em Sp) 

https://www.facebook.com/pabloanarco1312 

OUTRO LÍDER ...

FEMEN na Luta contra a Violência Religiosa

FEMEN na Luta contra a Violência Religiosa


A Religião envenena tudo!

Eram seis deles. Eles me amarraram a uma cadeira e me estupraram, um por um. Não podia fazer nada, "Fátima" disse com lágrimas brotando em seus olhos em um acampamento de relevo, algumas horas da unidade de Nova Deli.
A família ficou abalada com o ataque que ocorreu as 17 Horas do dia, que veio durante os conflitos entre Hindus e Muçulmanos e em torno do distrito de Muzaffarnagar de Uttar Pradesh mês passado e que matou pelo menos 50 pessoas oficialmente.

http://Tribune.com.PK/Story/616107/Rape-Victims-Suffer-In-Silence-After-India-Riots/

A Religião é uma ficção de homens-feitos. E quem escreveu isso, não concordam entre si em seus profetas que querem demanda, como viviam, era por isto que eles estavam chamando.
No final, eles lutam entre si. Em nome de seus deuses, eles lutam, matam, estupram ... Eles lutam com a gente sem direito a defesa, eles nos matam, violam-nos. Nós por isto não podemos coexistir com eles ! É ou eles ou nós.

Então, FEMEN esta na Luta !
Por Nenhuma Religião ! 

(Traduzido por Bing)
Texto Traduzido e corrigindo Bing por Partido Anarquista Internacional

Fonte: FEMEN Internacional

http://femen.org/

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=249154415238216&set=a.210789815741343.1073741828.210780809075577&type=1&theater

domingo, 13 de outubro de 2013

O Poder da Mídia Alternativa

O Poder da Mídia Alternativa somos nos

Contra a Revolução Burguesa
Com os seus Pilares Permanentes
Sacramento, Documento, Dinheiro
Igrejas, Cartórios, Bancos, Instituições
Mídia, que Mídia Partidária é esta ai ?
Defensora da sua Revolução e não da Nossa
Mídia pilar da revolução burguesa agora eu sei
Agora nos cabe lutar, produzir a nossa Mídia
Como um Exercito das Mascaras da Morte 

O Poder da Mídia Alternativa
Vídeos postados Instantaneamente
Fragrantes de abuso de Autoridade
Verdades Politicas das Ruas do Mundo
Presidenta do Brasil querendo Censurar
Censura em nome da Segurança Nacional
Como na Revolução Russa é igual no Brasil

Avança o Anarquismo das Massas
FEMEN, Anonymous, Black Block's
Movimento Passe Livre, Movimentos Sociais
Federações Anarquistas, Ateneus Libertários
Juventudes Anarquistas, SOMA, PAI, CCS ...


BBB agora não é mais sinonimo de Rede Globo opss ! quero dizer de; Big Brother Brasil e sim de Black Block Brasil destes Atores Anonymous da Revolução Anarquista Mundial, aqui no Brasil ou em Istambul, México, Europa ...
Somos Muitos não somos poucos
E amanhã seremos muitos mais !